Publicado na "Medicina e Saúde" Ano 9, Nº 102, Abril de 2006, Pag. 84-85

A SOCIEDADE PORTUGUESA DE GENÉTICA

Miguel Mota
Presidente da Sociedade Portuguesa de Genética

Em 1964 a Espanha celebrou com grande pompa o 25º aniversário do seu Consejo Superior de Investigaciones Científicas realizando várias reuniões, para que convidou muitos cientistas estrangeiros. Uma delas foi um Simpósio de Genética, para o qual convidou vários cientistas portugueses. No último dia desse excelente Simpósio, o Prof. Enrique Sánchez-Monge sugeriu que se fizessem mais reuniões semelhantes com portugueses e espanhóis, ideia que foi apoiada com entusiasmo e para a concretização da qual foi logo nomeado um cientista de cada país. Os espanhóis indicaram o Secretário Geral do Simpósio, Dr. Gonzalo Giménez-Martin e os portugueses, por proposta do Prof. Flávio Resende, indicaram o meu nome.
Gonzalo Giménez-Martin e eu decidimos realizar uma reunião de Genética anual, alternadamente um ano em Portugal e no seguinte em Espanha, garantir que fossem reuniões científicas de qualidade e designá-las "Jornadas de Genética Luso-Espanholas". Regressei a Portugal com o encargo de organizar as Jornadas de 1965, que resolvemos designar de "Segundas", considerando o Simpósio de Madrid como as "I Jornadas de Genética Luso-Espanholas".
Em 1970, durante as VII Jornadas de Genética Luso-Espanholas, na Universidade de Navarra, em Pamplona, um grupo de participantes portugueses decidiu criar uma sociedade científica devotada aquela ciência. Ficou encarregado de pôr em marcha essa decisão o Eng.º Agrónomo Tristão de Mello Sampayo (um grande cientista português, infelizmente já falecido), que elaborou uns Estatutos que foram aprovados em 14 de Julho de 1973. Em 3 de Outubro desse mesmo ano, durante as X Jornadas de Genética Luso-Espanholas, no Porto, foi assinada em notário a criação da Sociedade Portuguesa de Genética (SPG). Na primeira Assembleia Geral, realizada em 18 de Fevereiro de 1974, foram eleitos os corpos gerentes. A lista dos Presidentes da SPG, ao longo da sua existência é a seguinte:
Prof. Amândio Sampaio Tavares (1974-1977)
Prof. Luís Archer (1978-1981)
Prof. Jorge Antunes Correia (1981-1989)
Prof. Henrique Guedes Pinto (1989-1993)
Prof. José Rueff (1993-2001)
Prof. Miguel Mota (2001- )
Como qualquer outra sociedade científica, os objectivos da SPG são o desenvolvimento da Genética em Portugal, em todos os seus campos, e a ampliação dos contactos e intercâmbio no País e com o resto do mundo.
Em 1980 a Série de Ciências Naturais da Revista "Brotéria" (fundada em 1902 pelos Jesuítas), dirigida pelo Prof. Luís Archer, passa a designar-se "Brotéria Genética" e a ser o Órgão da Sociedade Portuguesa de Genética, mesmo não sendo propriedade da Sociedade. Em 2002, quando completou 100 anos de existência, cessou a publicação, por decisão dos seus proprietários. A SPG está agora a estudar a forma de substituir esse importante elo de contacto entre os associados.
A SPG publicou ainda alguns números de "O RNA Mensageiro", o seu Boletim Informativo.
*
Para além das Jornadas de Genética a SPG tem organizado outras actividades, que incluem conferências isoladas, cursos e outros encontros científicos, alguns em colaboração com outras sociedades.
Recordo um excelente Curso Intensivo de Pós-Graduação sobre "Transposons: Genetics, Molecular Characterization and their Role in Maize Populations and Evolution", realizado em Vila Real de 9 a 12 de Abril de 1990. Também foram já realizados alguns cursos visando principalmente a actualização de professores do Ensino Básico e Secundário, um campo em que a acção da SPG tem sido e espera continuar a ser muito importante, para a melhoria do ensino da Genética.
Das actividades dos últimos tempos é possível referir um "Encontro de Docentes de Genética do Ensino Superior", em Ponte de Lima, em 21 e 22 de Julho de 2003 e, em colaboração com a Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal (e integrado nas Comemorações do Centenário desta Sociedade) e a Sociedade Portuguesa de Genética Humana, um Simpósio intitulado "OGM, Clonagem e Transgénicos", em Oeiras, em 14 de Novembro de 2003.
Normalmente a SPG inicia as suas actividades em cada ano com uma Sessão de Abertura que inclui uma conferência por um cientista convidado. Nos últimos anos as conferencias nas sessões de abertura foram as seguintes:
Em 14 de Janeiro de 2002, em Lisboa, "O impacto social dos avanços da Genética", pelo Prof. Alexandre Quintanilha. Em 9 de Abril de 2003, também em Lisboa, "Is the human genome a heap of compost?", pelo Prof. Neil Jones. Em 26 de Outubro de 2004, "A Genética na Imunologia: da violação do Dogma Central à resolução das doenças auto-imunes", pelo Prof. António Coutinho.
Em 2006 a Sessão de Abertura vai realizar-se no dia 20 de Março, às 15 horas, na Estação Agronómica Nacional, em Oeiras, com uma conferência pelo Dr. Jean Razungles (Directeur de Recherches do Institut National de la Recherche Agronomique, de França), intitulada "Princípio de Precaução". A entrada é livre.
Também foram realizadas algumas conferencias isoladas podendo referir-se em 19 de Junho de 2002, em Coimbra, "Clonagem, 'Presente' do Futuro?", pelo Prof. Agostinho de Almeida Santos e em 3 de Junho de 2005, em Lisboa, "C. elegans, ferramenta da Genética no Século XXI", pelo Prof. Manuel Mota.
Em 1995 realizaram-se em Lisboa as XXX Jornadas de Genética Luso-Espanholas. Por decisão da Sociedade Espanhola de Genética, não se realizaram mais dessas reuniões. Após um intervalo de alguns anos, a Direcção eleita em 2001 e que tomou posse nos finais desse ano resolveu reatar a Jornadas de Genética, agora a nível nacional, embora continuando a ter alguns convidados estrangeiros. As XXXI Jornadas Portuguesas de Genética realizaram-se em Oeiras em 5 e 6 de Fevereiro de 2004. As XXXII Jornadas Portuguesas de Genética vão realizar-se em Vila Real, de 2 a 5 de Abril de 2006. Nestas Jornadas será prestada uma Homenagem ao Professor Luís Archer.
Em 2004 a SPG assinou com a Lidel um protocolo para a edição de livros que constituirão uma Série Monográfica de Genética. A Direcção Científica é da SPG e a parte editorial, de acordo com o modelo aprovado, pertence à Lidel. A Série não é limitada aos sócios da SPG, podendo candidatar-se quaisquer autores.